Saúde

Quais casos são atendidos nas emergências dos hospitais?

Emergências dos hospitais

O setor de urgência e emergência é o mais movimentado de um hospital. Nele chegam pessoas com diversos tipos de ferimentos, queimaduras, fraturas e sintomas. Acidentes de trânsito, armas de fogo, e objetos cortantes são alguns dos principais causadores de ferimentos que precisam do atendimento nas emergências dos hospitais

Além disso, doenças como parada cardiorrespiratória, COVID, infarto do miocárdio e AVC também são muito comuns nesse setor do hospital. Ou seja, você já percebeu que os pacientes com necessidade de atendimento rápido e imediato devem ter atendimento nas emergências dos hospitais. Por isso, hoje vamos te falar mais sobre esse tema tão interessante. Vamos conferir? 

Como funciona o atendimento nas emergências dos hospitais?

O atendimento emergencial de um hospital ocorre por meio do pronto-socorro. No SUS (Sistema Único de Saúde), esse atendimento ocorre na UPA (Unidade de Pronto Atendimento), que integra a Política Nacional de Urgência e Emergência. 

Os pacientes em estado grave e que precisam de atendimento imediato devem ir para a emergência do hospital. Assim sendo, para atender essa demanda, é necessário que os hospitais tenham plantões especializados 24 horas por dia, todos os dias da semana. Além disso, também deve ter profissionais qualificados, experientes e capacitados, além de aparelhos e equipamentos adequados para esse tipo de atendimento. 

Existe diferença entre urgência e emergência?

Sim! Existem algumas diferenças entre as situações atendidas pelo setor de urgência ou emergência dos hospitais. Dessa forma, o principal fator observado pelos médicos e enfermeiros é a gravidade do ferimento ou dos sintomas e o possível risco de óbito. Assim, vamos te contar essas diferenças, então continue sua leitura. 

Atendimento nas emergências dos hospitais

Nos atendimentos de emergência, existem grandes riscos de óbito e forte sofrimento do paciente. Assim, o paciente precisa de um atendimento rápido e imediato pois cada minuto importa para sua sobrevivência. 

Situações como acidentes de carros, acidentes de origem elétrica, cortes profundos, hemorragias, afogamentos, são exemplos de casos que precisam do atendimento nas emergências dos hospitais. Igualmente, queimaduras, dores fortes no peito, dificuldade de respirar, sintomas de derrames, intoxicação, alergias e picadas de animais peçonhentos, também vão para esse setor. 

Além disso, também precisam de atendimentos nesse setor hospitalar situações como convulsões, fraturas expostas, febre alta permanente, sangue no vômito, tosse, urina ou fezes e agressões físicas graves.

Atendimento de urgência nos hospitais

Já os atendimentos de urgência são para lesões graves, porém que não apresentam o risco de morte iminente. Aqui, o encaminhamento para plantão hospitalar é necessário porque se a lesão ou sintomas não forem tratados, podem evoluir para complicações mais graves. 

Situações como fraturas não expostas, torções, luxações, asma, aumento da pressão arterial, febres e vômitos constantes devem ser tratadas no setor de urgência. Da mesma forma, feridas e ferimentos sem grandes hemorragias, transtornos psiquiátricos, dor abdominal moderada à forte e retenção urinária em idosos, também são urgentes. A avaliação da gravidade dos ferimentos e sintomas deve ser feita por profissional capacitado que vai indicar se o tratamento é de urgência ou emergência. 

Qual a diferença entre atendimento em sala de emergência e em UTI?

Ao chegar nos hospitais, o paciente vai para o pronto-socorro, onde é atendido pela equipe médica e pela equipe de enfermagem para o tratamento imediato e adequado para cada tipo de caso. 

Após o cuidado dessas situações, o paciente cai para a UTI (Unidade de Tratamento Intensivo), onde é observado constantemente até a sua melhora. Nesse local ficam os aparelhos necessários para a recuperação do paciente em estado grave. 

O que fazer nessas situações?

Quando você se depara com uma situação como as que falamos acima, você deve tomar algumas atitudes. Ligue imediatamente para o SAMU (Serviço de Atendimento Móvel de Urgência), através do número 192 ou para o Corpo de Bombeiros no número 193. Você também pode levar o paciente diretamente ao pronto-socorro. 

Mas atenção. Situações que envolvam acidentes, quedas, fraturas expostas e pancadas na cabeça não é aconselhável remover a vítima, pois isso pode causar a piora do ferimento. Assim, você deve procurar um socorrista para remover do paciente à uma unidade de saúde para o atendimento nas emergências dos hospitais. 

Até a chegada dos socorristas, tentou manter a vítima imóvel e sem dormir. Desse modo, é muito importante que você converse com as vítimas que estão conscientes e aguardar o atendimento por profissionais. 

Conclusão

O atendimento nas emergências dos hospitais demanda muita calma, concentração e estudo. Os médicos e profissionais envolvidos são capacitados para cuidar e tratar dos pacientes com grave risco de morte, com ferimentos, lesões e sintomas muito sérios. 

Por isso, mesmo que você veja e presencie alguém nessas situações, mantenha a calma. Um profissional capacitado vai estar cuidado do paciente da melhor forma possível e para evitar complicações de saúde ainda mais graves. 

Então hoje você aprendeu comigo sobre o atendimento nas emergências dos hospitais, e o que fazer em situações graves. Muito obrigada pela companhia e não se esqueça de nos acompanhar para mais conteúdos como esse. Até a próxima!